Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara aprova requerimento sobre gastos com Arraiá do Ribuliço e Moção de pesar pela morte do Sargento Sarafim

Câmara aprova requerimento sobre gastos com Arraiá do Ribuliço e Moção de pesar pela morte do Sargento Sarafim

por alt publicado 22/08/2019 03h01, última modificação 22/08/2019 03h01
Na sessão de hoje 21/08, contou com a participação do Secretário de Cultura Luiz Pedro e do Servidor Público João Alves. Foi aprovado Requerimento cobrando informações sobre os gastos com o Grupo Cultural Arraiá do Ribuliço e Moção de pesar sobre a morte do Sargento Sarafim Teles.

Durante o expediente da sessão ordinária, a Mesa Diretora da Câmara informou sobre o recebimento dos seguintes ofícios e mensagem:

- Oficio nº 31//2019, da deputada estadual Augusta Brito, encaminhando cópia da lei complementar 203, que trata da criação de distritos no estado do ceara;

- Oficio nº 001/2019 da comissão de licitação da prefeitura, informando a realização de licitação para aquisição de pneus e câmaras de ar;

- Oficio nº 003/2019 do IBGE, informando sobre o início do censo demográfico 2020;

- Oficio nº 091/2019 da secretaria de ação social convidando a todos os vereadores para IX conferencia de assistência social;

- Oficio do Servidor João Alves solicitando espaço na tribuna;

- Oficio n º 060/2019 do secretário de cultura Luiz Pedro solicitando espaço na tribuna;

Após a leituras dos ofícios pelo secretário da mesa, o Presidente passou a palavra ao Secretário de Cultura, Luiz Pedro.

O Secretário afirmou que na sessão passada onde afirma ter sido dito que o Secretário de Cultura Esporte e Turismo teria feito uma reunião com funcionários para proibir os mesmos de curtir qualquer postagem feita pela oposição, o Secretário falou que não trabalha dessa forma pois quando recebeu o convite para a pasta da cultura conversou com o Prefeito e que em nem um momento ele falou que o Secretário deveria fazer isso ou aquilo. Perseguir isso ou aquilo e se por acaso isso tivesse acontecido, ele não teria aceito o cargo pois não trabalha dessa forma e que a primeira coisa que fez ao assumir o cargo foi uma reunião com todos os funcionários e perguntou se alguém estava ali forçado ou estava fazendo o que não gostava, segundo o secretário todos falaram que não e até o momento ninguém saiu da cultura. Que não é Secretário de Cultura, está Secretário, pois a qualquer momento ou a hora que não estiver mais servindo para pasta ou não está exercendo o seu trabalho o cargo estará à disposição. Falou que não esperava o Vereador Antonio Leite uma denúncia tão grave que deveria ser apurada e desafia qualquer funcionário a dizer que o Secretário Luiz Pedro fez uma reunião dentro da cultura e proibiu qualquer funcionário de fazer qualquer tipo de coisa. Que se qualquer pessoa conseguir provar que ele fez isso o mesmo pedirá exoneração do cargo de Secretário hoje mesmo. Que não irá perseguir ninguém, citando a sua irmã a Vereadora Silvania Caldas, falou que antes dela receber o convite para ser candidata a Vereadora nas eleições passadas, todos os dias tomava café em sua casa mas como eram de partidos diferentes deixou de fazer pois corria o risco de vazar alguma informação e falarem que foi o Luiz Pedro que falou e então disse pra ela que não andaria na sua casa enquanto não terminassem as eleições.

Continuando falou que está sendo acusado de ter pedido a cassação do prefeito e não é a primeira vez e citou mensagens enviadas ao Advogado Dr. Soares e consultou a possibilidade de retirar a denúncia. Luiz Pedro falou que qualquer denúncia que um Vereador ou qualquer outra pessoa fizer ele não concordaria e se tiver alguma coisa da coligação que fez parte contra a administração atual ele seria contra, pois não queria mais se envolver com a política pelo menos por enquanto. Citando o Vereador Prof. Adeiton, falou do momento em que o parou em frente ao seu comércio e disse não querer mais fazer parte do grupo, pois iria se dedicar apenas ao comércio e afirma ter enfrentado uma barra pesada nas eleições sendo contra toda a sua família. Falou ser contra qualquer denúncia e que nas eleições sempre tem um ganhador e um perdedor e quem quer o bem de Altaneira deve se unir e trabalhar juntos e que essas brigas não levam a nada. A respeito do que aconteceu no vale do São Romão as fotos que foram tiradas não foi proibindo o povo de utilizar o espaço até porque o espaço é do povo, para cuidar, zelar e aproveitar os fins de semana em seu momento de lazer. Quando falaram que Luiz Pedro e João Alves tinham derramado lixo lá, não foi assim apenas retirou os vidros da sacola e colocou em uma garrafa pet e colocou o lixo de volta na sacola. Que não tem nem uma foto dessa sacola sendo desamarrada, pois não estavam lá pra provar nada pra ninguém e que não é só o pessoal do São Romão que estão frequentando lá, pois domingo passado tinham pessoas de Juazeiro do Norte e de Várzea Alegre e que é um local que é aberto ao público e só está pedindo pra zelar e cuidar pois lá é a maior riqueza de Altaneira, a nascente do São Romão, e é preciso preservar e fica chateado quando as pessoas falaram que eles tinham espalhado lixo lá e tinha sujado o local. Citou que o Vereador Flavio cobra o que ele veio fazer na cultura, e que não gosta de perder tempo mostrando mas sim ganhar tempo fazendo e que desde quando entrou na cultura vem buscando o que de melhor poderia trazer em benefício pra nossa cidade, nossos jovens e a comunidade em geral, citando que a cultura tem uma equipe e que quando entrou já tinha algumas coisas em andamento e citou algumas atividades do esporte como  a seleção municipal e o museu que deve ser inaugurado em dezembro, afirmou que o forno da divisa com Farias Brito pertence a Altaneira, falou também sobre a situação da banda e afirmou que a banda se apresentará no dia 7 de setembro e que tem o apoia do governo pra mostrar resultados trabalhando.

Os Vereadores Antônio Leite e Flávio Correia responderam ao Secretário que cada um deve responder pela responsabilidade que assume. Que não aceitam que achem que são otários e façam a população de besta, irão continuar as cobranças, pois até o momento o Secretário apenas deu continuidade as coisas do passado, que não enxergam nada de novo e continua sem dizer para o que veio. Antônio Leite explicou que o secretário deveria pesquisar a diferença entre imunidade e subordinado. Falou que o secretário questiona o anonimato da denúncia, mas se contradiz quando trouxe fotos de pessoas com os rostos cobertos, supostamente usando a nascente do São Romão de maneira inapropriada.

Em seguida o Presidente passou a palavra ao servidor público João Alves  que também solicitou espaço.

João começou falando que a sua última vinda a casa foi para defender a feira, e que dessa vez veio para defender o seu nome, que o mesmo irá fazer em dezembro 49 anos, conhece a política de Altaneira, e que gosta de debater e de deixar perguntas, e que é notório sua participação.

Falou que não intendeu por que o vereador Valmir citou o seu nome, intende que tem denúncias que pode ser anônima, mais que queria chegar a essa pessoa, por que se mandou mensagem não é anônimo a não ser que seja no desconhecido. Que não é bom da importância para alguns tipos de coisas para não sair histórias distorcidas.

É preciso ter mais respeito, por que o mesmo nunca saiu da cidade para  a zona rural para fazer uma coisa dessa, que foi injusto o nome dele ser vinculado no Brasil e no mundo, amigos da imprensa falando que não acreditava que eu tivesse feito isso, imagina ele saindo daqui lá para o São Romão  pegar uma sacola, despejar o lixo e o mesmo tirar a foto, para colocar a culpa na população, e que nunca imaginou que a câmara iria falar um assunto desse, mais que está preparado, que é um homem público, suplente de vereador, e que leva informações para o mundo inteiro.

Disse também que uma palavra ao vento gera até apelido, inclusive algumas pessoas na cidade já colou apelido de João espalha lixo, não  da para intender, isso é horrível, é feio, precisa da veracidade da denúncia, por que não foi ele, ele não fez isso, precisa que diga o nome da pessoa, trazer ela na tribuna para que todos conheça, estamos aqui mostrando a cara, é fácil pegar o nome de uma pessoa e jogar ao vento, duro é você provar ao vento, é preciso que a câmara tenha mais seriedade para trazer as informações.

Tema Livre

Antônio Leite começou pedindo um minuto de silêncio em homenagem ao Sargento Teles vítima de um acidente de trânsito. Em seguida citou a contradição do secretário, quando falou que os vereadores dissessem os nomes das pessoas quando fossem fazer suas denúncias, sendo que o mesmo mostrou imagens no plenário de algumas pessoas em fotos tiradas na nascente, colou tarjas na cara de qualquer e não citou nomes das mesmas, o mesmo citou que acha bom por que as pessoas que lhe dão as matérias.

Falou que os Vereadores de oposição estão sim defendendo a municipalidade, agora tem pessoas que defende o gestor do município, que tem pessoas que se limitam a defender apenas o que o gestor gosta. O mesmo vê um absurdo que o secretário de cultura esteja a pá de tudo, ajudando a elaborar, uma licitação de 33 mil reais de queima de fogos, será que esses 33 mil reais, reformasse e ampliasse os instrumentos da banda de música, melhorava a bolsa de dos componentes, não seria mais conveniente? Mais útil do que com queimas de fogos, e cadê as prioridades? Citou que enquanto isso a quadra do Córrego está caindo, o posto do Tabuleiro só os pedaços.

Acrescentou que existem muitas contradições, principalmente parlamentares que foram eleitos pelo grupo de oposição e que hoje vota contra um requerimento de abertura e investigação ao gestor atual. Será que esses parlamentares querem o bem de Altaneira? Questionou o Parlamentar.

O Vereador Flavio Correia iniciou falando que o jornalista (João Alves) é concursado no município e que não se sabe aonde o mesmo trabalha, que existe desvios de função, que é feito dia a dia no governo, que foram fazer outro dia umas visitas e convidaram o jornalista para ir junto e o mesmo fugiu, não aceitou ir, que quando cobra da imprensa, é por que estão com trabalhos árduos, investigação de empresas que estão levando muito dinheiro do nosso pobre Município. Citou que se tivéssemos aqui calados, tivéssemos dizendo amém, a imprensa estava cobrando, a gente precisa que a imprensa faça o papel dela, de liberdade, de divulgação por alguns vereadores da casa, dos que se omitem, foi votado um requerimento de abertura de CPI e teve voto contrários, mais não se teve nem uma divulgação.

Falando sobre a festa dos pais, o Vereador citou que quando você é pai, toda e qualquer homenagem feita é bem-vinda, agora tirar proveito em cima dos pais é crime, os pais merecem mais festa, apoio, mais precisa ser mais respeitados. O mesmo falou que não engoliu e que não aceita a situação do belo e bonito hospital de Altaneira ter se destruído da forma que foi, por que havia outros lugares para fazer o CEO.

Flávio disse que não fala com ódio, e sim com verdade, por que a verdade vem de dentro, que se tem uma trilha de ciclismo elogiada por pessoas de outros estados, referência na região, mais não tem apoio do município, será que o ciclismo não é cultura? Não é esporte? Citou que cobrava muito do governo no tempo do furdunço e hoje transferiram as condições para o Arraia do Ribuliço, que precisa fazer quadrilha, mais o Arraia do Ribuliço estava cheio de gente de fora, que não justifica gastar o dinheiro do município de Altaneira com gente de fora, não concorda, gastar o dinheiro com a cultura de Altaneira para que pessoas de fora venham, coloque os nossos, nem que a classificação seja um pouco distante.

Sobre a situação da banda de música, falou que se houve essa interrupção, agora vem aí o prefeito e pede para se retirar o projeto. O vereador finalizou falando que defender a população é ter coragem de enfrentar o que estamos enfrentando no dia a dia, uma luta árdua, difícil, para que a população tenha saúde, tenha educação e uma qualidade de vida melhor, e fica o protesto do mesmo com as empresas que foram instaladas no município de Altaneira para levar lucro exorbitantes.

A Vereadora Zuleide Ferreira iniciou fazendo reclamações sobre os serviços prestados ao município pela empresa CAGECE, pois a população está insatisfeita com os serviços atualmente prestados, e que já está na hora da mesma renovar o seu equipamento e trabalhar de forma que o povo merece, citando que quando quebra um cano no local além dos transtornos, há uma grande demora para se fazer o devido conserto. A Vereadora falou que é preciso encontrar um jeito para que isso se resolva, cobrando da instituição mais responsabilidade e zelo pelo serviço que presta ao município e falou que quem tem os grupos nas redes sociais acompanham as reclamações constantes da população pela falta de água e com razão pois o serviço está de péssima qualidade e que precisamos nos esforçar e fazer algo para que a nossa população fique um pouco mais tranquila com o atendimento da CAGECE, conclui a Vereadora.

Continuando falou que quando votaram contra abertura da CPI justificaram o porquê e que na verdade quem decide sobre as investigações nessa casa é a mesa diretora visto que o pedido foi feito ao Presidente e que os Vereadores que tanto falam que votaram contra, já colocaram para o plenário na intenção de ficar usando nos discursos e que gostaria de dizer que era demagogia mas infelizmente acha melhor dizer que são distorções e inverdades ditas por esses Vereadores e que a população de Altaneira já não escuta mais as sessões, pois segundo a Vereadora, a população já não tem  mais saco pra passar uma sessão. Olhe nós começamos, estamos chegando a 12 horas, nós não votamos uma matéria em benefício do povo de Altaneira, mas pelo o contrário nós denegrimos a imagem de vários habitantes de nossa cidade, acrescentou a Vereadora. E pergunta: “esse é o nosso papel enquanto vereador?” e que nessa casa todos foram eleitos pra discutir matérias e não pra discutir picuinhas e que não fala com demagogia e gostaria muito de não ter que em determinadas situações se envolver mas que não pode ficar calada e gostaria de lembrar que o governo e toda instituição que faz licitação, fazem licitação de um valor e não é obrigada a gastar aquele valor, pois não pode se prever um valor exato pra licitar e que em instituição nenhuma se licita só aquele valor que vai ser gasto e afirma que foi licitado R$ 25.000,00 para a festa dos pais e foram gasto apenas R$ 19.000,00 e se os Vereadores quiserem as especificações do que foi gasto e com o que foi gasto, ela também pode lhes passar e que não foi gasto R$ 5.000,00 com o show de humor, mas sim R$ 3.000,00 pois há muitas controvérsias e que o povo não estão mais escutando as sessões por causa dessas conversas de “Luzia”, conversa sem fundamento. Falou que já participou de licitações inclusive tem um comunicado convidando para participar do final do processo da licitação para aquisição de Pneus, câmeras de ar, protetores abrangendo o serviço de troca, alinhamento e balanceamento destinados aos veículos oficiais e locados ao município de Altaneira, e que a comissão parou a licitação porque achou melhor fazer visitas in loco para identificar as empresas por que ao contrário do que aconteceu no governo anterior este município não quer trabalhar com “empresas laranjas” essa é uma das provas e que não está dizendo que essas empresas que vieram são laranjas e a comissão faz o certo em visitar as empresas. Citou que a população de Altaneira devem entender é que os vereadores querem que o governo não execute nem uma ação e que os vereadores tem o poder de legislar, executar não compete ao vereador, mas sim do executivo que foi eleito para executar todas as ações do município. Que deu seu nome para participar da Comissão Parlamentar de Inquérito e que vai investigar junto com os demais vereadores e se tiver algum erro nos abastecimento e locação de carros, também saberá apontar os erros pois não nasceu para colocar a mão na cabeça de ninguém e mesmo sem saber se o mandato se reconduz enquanto estiver na Câmara Municipal irá representar e lutar pelas causas do povo.

O Vereador Professor Adeilton aproveitou para esclarecer sobre a retirada de pauta do Projeto de Lei que trata sobre a Banda de Música. Explicou que se fazia necessário algumas alterações, prova disso é que o Prefeito solicitou a devolução do Projeto por atecnias e alterações substancias ao texto. O Vereador falou também da dificuldade de reconhecimento e apoio nas investigações, que é difícil esse trabalho, mas que todos devemos ter uma bandeira de luta e lutar, que isso é que nos fará ser lembrados na história.

O Vereador falou também sobre o trabalho que estão fazendo como opositor, se referindo as denúncias de licitações que entendem desnecessárias em vistas as prioridades que temos. Citou que se a oposição calar, o gestor acaba gastando da forma que achar conveniente, sem muitas vezes, atender ao interesse público. Segundo a vereadora Zuleide, na festa dos pais não foi gasto 23 mil reais e sim 19 mil. Adeilton achava que a economia seria maior, mesmo assim já se economizou 4 mil reais. E afirmou que a denúncia sobre a compra de 33 mil reais de fogos foi feita com o intuito de provocar a opinião pública a pressionar o Prefeito o Secretário de Cultura a cancelar ou pelo menos gastar o mínimo possível com algo que julga ser muito superficial. Anunciou que estuda reivindicação da população sobre a criação de uma lei que proíba a utilização de fogos em eventos públicos.

Elogiou o Vereador Cier bastos e a população do Sítio Córrego pela iniciativa de buscar recursos para reformar a quadra esportiva, se colocou à disposição para ajudar no possível.

O Vereador Cier Bastos iniciou falando que cada coisa que se fala na sessão já começa a se inflamar nas redes sociais e que sobre a reforma da quadra com iniciativa da comunidade não falou com intuito de gerar críticas ou outra coisa nesse sentido e que os Parabéns que recebe direciona aos jovens da comunidade que estão empenhados em fazer esse trabalho de buscar verbas tanto com políticos como empresários e comerciantes para estar fazendo os reparos da quadra do Sítio Córrego e o que resta e cabe ao Vereador é apoiar esse tipo de atitude e que é uma obrigação de vereador ou homem público apoiar essa situação onde o povo quer levantar uma bandeira e que só lhes resta abraçar junto com eles e que não fique só em palavras, que essas atitudes venham despertar mais comunidades para que se engajem nessa luta e tomar atitude de buscar recursos para reformar posto de saúde, fazer estradas o que for preciso e que cabe aos vereadores abraçar essa causa e levará a mensagem de apoio de todos a comunidade.

Ordem do dia

Na ordem do dia foi aprovado o requerimento nº 58/2019 de autoria do Vereador Antônio Leite, pedindo informações sobre os gastos com o Arraiá do Ribuliço.

O Autor justificou a necessidade de saber o que foi conquistado pelo Grupo e os valores gastos com o mesmo para fazer o paralelo sobre o custo benefício e se o interesse público foi atendido. O requerimento foi aprovado por unanimidade.

Foi também aprovado por unanimidade Moção de pesar nº 02/2019 de autoria do vereador Flavio Correia sobre a morte do Sargento Sarafim Teles.  

O Presidente da Câmara fez referência as qualidades que Sarafim tinha e sobre o tamanho do legado que deixa para todos nós. Falou sobre a postura do homenageado quando professor e que foi fundamental na sua inspiração para seguir como professor de matemática. Os Vereadores solicitaram para assinarem junto com o autor a Moção de pesar.

Não havendo nada mais a tratar a sessão foi encerrada.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.

Mídias Sociais

Facebook Twitter Linkedin Youtube Flickr

Pesquisa de Opinião

Gostou do novo portal?

Sim
Não
Pode melhorar
spinner
Total de votos: 1150
Pesquisar no BuscaLeg
Logotipo do BuscaLeg - Buscador Legislativo

Acesso à Informação